ESCOLHA DA TINTA E PARTICIPAÇÃO PROFISSIONAL

Nos últimos anos surgiram no mercado novas opções de tintas, cada uma para um determinado fim e ambiente. Mas o sucesso de uma boa pintura, interna ou externa, só é possível com a participação de profissionais, que garantem os melhores resultados. Todas as tintas para parede não garantem o mesmo resultado. Na maior parte das situações não vale a pena economizar utilizando um produto mais barato com qualidade inferior. Com base em pesquisas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os parâmetros principais de qualidade para tintas látex econômicas de cores claras são cobertura e resistência a abrasão.

A linha econômica custa menos, mas poupar tem seu preço. Nesta linha de tintas não há presença de algumas matérias primas importantes, como a resina. Com pouca resina, a película formada pela tinta fica porosa, adere menos, suja mais e resiste menos as agressões do tempo. Outro item raro na linha econômica é o dióxido de titânio, pigmento que dá a cor branca e a opacidade, sendo assim só depois de seca que você percebe realmente o resultado necessitando assim de mais demãos. A sua durabilidade é de até dois anos (as melhores tintas hoje garantem uma boa qualidade por até cinco anos). Uma tinta de boa qualidade deve ter alguns requisitos como 40% em média de água para diluição e ajuste de viscosidade (varia de acordo com o fabricante) de 20 a 25% de resina, 15% de pigmentos, agregam todos os elementos. Eles determinam propriedades como espessura e resistência a fungos, bactérias, umidade e evitam a formação de espumas. Há quatro tipos de resina no mercado: acrílica, que confere mais durabilidade e lavabilidade à tinta, a vinílica, que tem boa cobertura, mas não resistem tanto a lavagem e ao tempo quanto a acrílica, a epóxi, resiste bem a umidade e a alquídica, que é usada em tintas à base de óleo.